Do qual mais não se sabe

Há um andarilho solitário que fica a rodear o Conjunto Nacional, centro de Brasília, perto da rodoviária. Quando o observei pela primeira vez, ele caminhava de-um-lado-para-o-outro a dizer que era bonito ver as pessoas se divertirem no oceano, em cima dos barcos, mas num naufrágio — todos vão para o fundo do mar. Imagem terrível, o naufrágio, mas de muito boa feitura narrativa.

— P. R. Cunha