Cérebro de LED (reboot)

O sr. Max finalmente sai de casa para um passeio. Ele se assusta imenso com o que vê e decide voltar ligeiro ao conforto do ecrã televisivo.

Se o futuro está cancelado (ou suspenso), talvez olhar para trás em busca de âncoras. A ficção científica dos anos 1990, o electrowave dos 1980, as calças dos anos 1970, o penteado dos 1960. Misturas esperadas, nostálgicas, confortáveis.

Observamos a bola da história bater na parede do século 21, ricochetear, seguir rumos difíceis de serem previstos.

Noticiários como representações desconexas do eterno presente, reportagens disparatadas, contraditórias, anuláveis, em busca de interesses ilícitos.

«As coisas só acontecem se elas chamam a atenção da mídia.» No ciberespaço este axioma ganha versão assustadoramente jocosa: se não está no Google, não existe. 

O sr. Max acostumara-se a essas previsibilidades, a essas certezas, de aí ele ter voltado ligeiro ao ecrã  — onde a realidade é filtrada, mastigada, menos aleatória, comentada e descartada.

Pode-se sempre recomeçar no dia seguinte, basta um clique de botão.

— P. R. Cunha

Uma opinião sobre “Cérebro de LED (reboot)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s