Apontamentos

A realidade
desiludida —
o tédio
o estímulo
o tédio.

* * *

Minha avó paterna sente as saudades do mar. Ela me mostra uma antiga fotografia de Niterói. A casa, a mureta, o cajueiro, o menino à sombra do cajueiro. Vovó aponta para o menino e diz: é o teu pai.

* * * 

Duas amigas que se conheciam há mais de cinquenta anos. Perguntaram a elas qual era o segredo de uma amizade tão longeva. O fato de que ambas quase morreram afogadas no arquipélago da Madeira.

* * *

Num terreno abandonado, crianças organizavam uma espécie de corrida de cães — vira-latas que viviam nas ruas e mostravam-se muito satisfeitos com a bagunça. O vencedor levava um pedacinho de pão.

* * *

Às vezes escuto o silvo da locomotiva. Um grito seco, agudo, distante. Mas os trens não operam por aqui desde os anos 1980, explicam-me. E isso me deixa muito perplexo.

— P. R. Cunha

4 opiniões sobre “Apontamentos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s