Criatura de hábitos — uma (quase) sátira

Acordar (de preferência antes das seis / um bocadinho antes do próprio Sol), tomar um duche, pegar o matutino à porta, ler o matutino, fazer o pequeno-almoço — tostex, ou bauru, ou misto-quente, café (leite [opcional]), Pharmaton, suco de laranja, Benzedrina (muita moderação) —, caminhada, regar as plantas, sentar-se à escrivaninha e escrever, dedicar-se à pesquisa, fazer compras, ler o noticiário estrangeiro, aproveitar que o computador está aberto e: 1) responder aos e-correios; 2) publicar no blogue; 3) assistir a documentários diversos; 4) lembrar-se da lista de documentários diversos; ir aos Correios para enviar os livros àqueles que compraram os livros, ir ao crossfit, depois, à guisa de divertimento, uma qualquer leitura despretensiosa (sugere-se Mark Twain, Bill Bryson, O meu pipi [sermões], Ricardo Araújo Pereira, Mencken, etc.), comer uva, maçã, manga, abacaxi, jantar, preparar a bebida noturna (gosto pessoal), conversar com o cônjuge, fumar o tabaco (charuto e que tais), ouvir Beethoven, tomar os sedativos (Valdoxan, Seconal), ir para a cama, eventualmente dormir. No dia seguinte, a mesma rotina — com uma ou outra (pequena) variação.

— P. R. Cunha

16 thoughts on “Criatura de hábitos — uma (quase) sátira

    1. Dir-se-ia que é lá uma espécie de crise de abstinência — ou saudades do pastel de natas. Estar-se longe de Portugal e sentir esse vazio difícil de preencher.

  1. Está aí uma rotina pela qual eu me adaptaria facilmente!
    Quanto à leitura eu optaria por Bill Bryson, a música seria Max Richter e a bebida o que tivesse de álcool na geladeira que está sempre um tanto mais vazia do que deveria estar.

        1. Vittorazze,

          Descreveste direitinho uma das incontáveis razões pelas quais pratico o daydreaming constantemente.

          Acessar o estranho & complexo & incrível & imprevisível livro da própria mente.

          Boa semana para ti, meu amigo!,

          P.

      1. Mi vida también es una rutina constante para la que no tengo suficientes horas en el día.
        Pero sin fármacos, cuando llego a la cama estoy tan cansada que me rindo al sueño sin problemas.
        Abrazos.

        1. Amiga mía,

          Algunos escriben, algunos usan fármacos, otros hablan, otros se callan. Para algunos, el sueño es leve; para otros, el sueño es una pesadilla.

          (Y los humanos se ahogan…)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s