O camelo do papá

De volta à literatura, que, no fim de contas, é a única praia em que me sinto plenamente à vontade. Sobre um camelo que não armazenava ressentimento contra os seres humanos.


O pequeno Misha observa com olhinhos curiosos o papá montado na corcova do camelo. O papá se aproxima e o animal parece querer abraçar o Misha com o focinho. A corcova do camelo tem um formato engraçado, como se algum arquiteto distraído tivesse esquecido ali a maquete inacabada do Pão de Açúcar. Gostava de saber o que o camelo guarda na corcova, disse o Misha. Gordura, respondeu o papá, o camelo guarda gordura na corcova, reserva de energia, esse tipo de coisa. Misha agora está a pensar que não deve ser fácil, a vida do camelo — principalmente no verão.

— P. R. Cunha

Publicado por

P. R. Cunha

Mora em Brasília, Distrito Federal. Em 2009, estudou russo na cidade de São Petersburgo, cujas avenidas lhe serviram de cenários para os primeiros contos. Depois de terminar o curso de jornalismo, resolveu dedicar-se integralmente à fazenda literária. Além de romancista, é poeta, dramaturgo, fotógrafo e músico.

6 opiniões sobre “O camelo do papá”

Deixe uma Resposta para P. R. Cunha Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s